O medo

Padrão

O medo é um mercado capaz de eleger políticos, mexer nas bolsas, nos juros, nos bancos. Nesse caso, o anonimato faz bem aos negócios.
É por medo que negociamos nossa privacidade e aceitamos agradecidos que o governo nos vigie.
O medo nos acua, nos torna submissos, nos posiciona em busca de abrigo. Consumimos mais notícias, pagamos mais seguros, buscamos mais religiões, nos protegemos, investimos, compramos o que não é necessário.