Formigas

Padrão
Acordou e percebeu-se formiga.
Todos formigas!
A grande e venerada rainha e seus serviçais, os soldados e os inimigos, a população, a família, todos com suas vidinhas de formiga.
Os castelos, nada além de formigueiros, os trabalhos, as pedrinhas que carregavam com tanto sentido, formigas, formigas , formigas, uma sobre a outra, formigas nascendo e morrendo, formigas esmagadas por pingos d´água, formigas a imagem e semelhança de seus deuses formigas, formigas em guerra, em cruzadas, em fila no meio da grama.
Formigas sábias, formigas ignorantes, pecadoras, santas…Formigas!
Percebeu-se formiga e deixou de ser como as outras

Somos respostas

Padrão

Somos respostas.
Acreditamos estar no controle, pensamos conhecer a natureza de nossas ações, mas somos respostas.
Respostas ao mundo onde vivemos.
Respostas aos pais, aos avós, aos bisavós, gente que nem sabemos que um dia existiu.
Tudo o que fazemos responde a algo que provavelmente desconhecemos.
Somos pontas de galhos, milhares, milhões, bilhões de galhos de uma árvore enorme.
Cada galho enxerga-se autônomo, mas estão ligados uns aos outros, alimentando-se da mesma raiz.
O que pensa propor, ainda assim, responde.