As leis e a consciência: Com qual consciência você é o que é?

Padrão

As leis podem ser guias condutoras entre a imaturidade e a consciência, mas não podem ser imobilizadoras. Se as leis tem como objetivo apenas o controle, manterá o indivíduo (ou a sociedade) preso na infantilidade, sempre em dúvidas sobre o que é “certo” ou “errado”.

O certo ou errado, sob a perspectiva das leis, está sujeito a cultura, ao tempo, a geografia, as experiências de quem as define. Isso vale para um país ou para uma família. As perspectivas alteram e as leis são redefinidas.

Leis são necessárias para ajudar na intermediação das relações e devem ser promotoras de autonomia até que o indivíduo desenvolva consciência. Quanto mais consciência, menos necessidade de leis.

É como uma criança que precisa dos pais para dizer o que pode ou não pode, o que é certo ou errado, até que ela própria amadureça e aprenda a tomar decisões sozinha.

Os pais, o estado, a igreja e todos os que se colocam na condição de “legisladores” deveriam manter essa consciência: As leis que estabeleço geram maturidade ou criam dependência?

A dependência facilita o controle e bloqueia o desenvolvimento.

Quanto mais uma sociedade (ou um indivíduo) evolui, menos necessário tutorá-los.

Discussões sobre o “certo” ou “errado” diminuiriam e a pergunta passaria a ser “com qual consciência você é o que é?”

Se o estabelecimento de leis (seja em qual âmbito for) priorizar a consciência ao invés do controle, com o tempo, seriam menos necessárias. Estaríamos suficiente maduros para fazermos nossas próprias escolhas.

Se estamos longe de uma condição semelhante no macro, melhor será se começarmos no micro, individualmente, substituindo a pergunta “isso é certo ou errado?” por “qual consciência me move a fazer o que faço?”.

Parece simples, e é, mas pode ser o início de uma revolução.

 

2 comentários sobre “As leis e a consciência: Com qual consciência você é o que é?

  1. Antonio Pereira

    Olá Flavio! primeiro agradeço por vc enviar esta bela mensagem para meu e-mail,
    olha esta mensagem é muito importante porque ajuda a não nos permitir ficar preso a regras e leis, e sim ser livre e consciente de que, não precisamos de lei nem regras para deixar de praticar qualquer tipo de delito, enquanto eu lia esta mensagem mim fez lembrar de um fato, a algum tempo atras conversando com algumas pessoas aqui em frente a minha barraca, fiz um comentário dizendo que na Finlândia tem uma lei que, quem jogar algo na rua é multado, uma das pessoas que estava presente, com sua mentalidade muito fraca comentou, que, em algum lugar deve não ter fiscal para multar, então eles poderia jogar no chão,
    a pessoa comentou sem usar o raciocino de que eles não joga nada no chão não para obedecer lei, e sim para não sujar sua cidade, eu normalmente sempre tive a consciência de que, não devemos fazer o mal porque, fazer o mal é ruim pra quem faz o mal, e pra quem é atingido com o mal.

  2. Davi Ventura

    Muito boa a mensagem Flávio! Isso me fez perceber algo aqui: Muitas vezes a Igreja e as religiões são limitadoras. Nos tornam seres limitados, como pássaros presos em uma gaiola (O sistema controlador), querendo voar. Para fazermos o bem, acabamos nos sujeitando a várias outras leis ou ordenanças sem sentido só porque precisamos de algo nos guiando, algo para nos apoiarmos para não fazer o errado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s