As oito bexigas

Padrão

Todas sorriram na última foto. Sorriram sem saber que seria a última juntas. Ontem uma delas partiu sem aviso e sobrou a pele murcha, vazia; pálida semelhança com a que sorriu na última foto.

Agora elas velam. Com o tempo outras também partirão e a imagem da festa sobrará no retrato, ou na memória das que forem por último. Depois o retrato se perderá e ninguém mais falará sobre as oito bexigas da festa.
O que sobrou vai decompor, outras virão e terão o mesmo fim, como sempre acontece.
Ontem, quando uma delas partiu, rompeu a pele vermelha e voltou a ser sopro de menino. Libertou-se da embalagem festiva e ganhou ares, voltou a ser fôlego, enamorou-se do vento, voou.
Sobraram sete bexigas e elas choram suspensas no ar.

3 comentários sobre “As oito bexigas

  1. Tudo passa, tudo muda, tudo morre aos poucos por aqui… mesmo assim, existe algo, dentro desse algo, que faz parte do todo e, portanto, se transforma, nunca morre…Lembrei-me de Tabacaria ao leer seu texto.

  2. Fabiano

    Olá Flávio!
    Agradeço pelo imenso bem que vc tem feito a muitos. Comigo não é diferente!
    Gostaria de receber o livro que vc disponibilizou para todos “O jardim do éden”. Tentei baixar e não consegui. Vc poderia enviar por email pra mim?desde já lhe agradeço.
    Meu email é: anandozen@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s