Buscas – Duas Vidas

Padrão

“… estamos todos procurando o caminho de volta para casa, olhando desesperadamente para fora em busca de ruas, atalhos, estradas que nos conduzam para onde possamos finalmente descansar e ficarmos em paz. Acreditamos nos acenos, confiamos em gente que barganha nossos espíritos, incutem culpas que nos sequestram, nos algemam em suas próprias ambições que lentamente vão se transformando em nossas próprias ambições. É mais fácil ser assim. Aceitamos que nos distraiam desde que seja com promessas de sonhos a serem realizados e, cegos, oferecemo-nos para guiar outros cegos, surdos, tentamos interpretar o que não queremos ouvir.” – Livro Duas Vidas

A vida…

Padrão

“É alentador lembrar que antes de mim havia vida e depois, quando eu não estiver mais aqui, pessoas continuarão vivendo, casando, trabalhando, morrendo, sofrendo, se alegrando. Sinto que a vida, sobretudo, é um aprendizado de morrer. Não a morte fúnebre de nossa cultura, mas o deixar de ser, o abrir mão, o enxergar-se com a leveza de quem renunciou os pesos de ser imprescindível e assumiu ser um lapso que hoje está, amanhã não mais. Isso é alentador.” – Livro Duas Vidas