Amor EU

Padrão

Nenhum de nós é capaz de amar incondicionalmente. Antes de se incomodar, pense comigo: Se o amor é absoluto, eu não sou e, ainda que meu sentimento seja nobre, refletirá apenas minha própria fragmentação. Nada que sai de mim pode ser absoluto porque sou movimento. Não ocupo todos os espaços. Em mim há sombras, contextos, variações, ambivalências. Para amar preciso conhecer, no mínimo ter um objeto de amor; eis uma condição! Sou o ponto de partida do mEU amor: mEU filho, mEU cônjuge, mEU país, mEU pai. Se não fossem mEUs, amaria? Tudo o que amo me revela. Se eu não tiver pudores para ver, enxergarei.