Conflitos, bombons e amor

Padrão

Uma das razões por gostar de comprar livros em sebo é que às vezes eles nos reservam surpresas especiais. Uma folha amarelada, uma dedicatória perdida, uma assinatura antiga.
Livros que não vem do plástico chegam com histórias que transcendem o texto, deixam dicas sobre quem leu, pequenos sinais que dão características próprias às folhas. Impressões de almas que se manifestam nos pingos de café que ficaram, nas marcas de dedo, um rasgão aqui, uma sublinhada lá; impressões que agora se misturam ao texto e falam igual, ou mais do que as palavras.
Noite dessas, lendo no avião, encontrei um papelzinho envelhecido e dobrado.
Não sei se era um lembrete para quem escreveu ou um recado para quem leria, mas faço questão de ampliar a mensagem, simples, bem humorada e doce. Talvez se encaixe no seu dia : “Como viver com conflitos? Coma bombons coma amor!”

coma-bombom

A nudez dos sentimentos

Padrão

Há sentimentos que não podem vestir-se com palavras. Nesses casos as palavras seriam como roupas apertadas que escondem, modelam, disfarçam. Me refiro aos movimentos interiores que expressam escancaradamente a nudez da alma. Não cabem nas roupas, só podem ser encarados no espelho, nu, e talvez por isso tenhamos tanto pudor em fazê-lo.