Para não perdermos a noção

Padrão

O consumo é a religião do ocidente e rapidamente o oriente tem se convertido a ela também. Crer no consumo como dogma desabilita a solidariedade, faz com que percamos o senso de doação, de doar-se, de ser, sem interesse. A gente perde a sensibilidade de identificar o fluxo natural da vida que acontece em liberdade. Nossas religiões, as políticas, a cultura, em grande parte, tem sido expressões desse olhar. Cuidemos de nossas mentes, pra que não percamos o equilíbrio, nem a percepção do privilégio de ser sem esperar nada em troca.