Mudar as pessoas em mim

Padrão

Há filhos que se angustiam com pais, que discordam do caminho que escolheram, que se incomodam com os erros deles. Filhos que se cansam de tentarem. Nesse caso é bom lembrar que você não pode mudar seus pais, mas pode mudá-los em você reescrevendo outra história. Você é a continuidade deles, mas a partir de outra perspectiva. Acontece quando muda sua consciência de valores, quando refaz escolhas e decide por novos caminhos em liberdade. Sejam os pais, cônjuges, amigos, seja o mundo inteiro: Não me cabe mudar a mente das pessoas, mas posso mudá-las em mim e prosseguir.

Matar para dentro

Padrão

Hoje fiquei sabendo de uma caso de um homem que participou de uma cerimonia religiosa. Quando o padre pediu para que as pessoas dessem as mãos não houve quem segurasse a dele, provavelmente porque o homem é gay.

Fiquei pensando nos conflitos que cada um dos que rejeitaram seu irmão de planeta devem carregar. São conflitos assim que nos separam. Os que nos convencem de que a orientação sexual, a cor da pele, a conta no banco, a religião ou seja lá o que for contam tanto a ponto de justificar exclusões, mortes para dentro.

Excluir alguém é matar para dentro. É não deixar que o outro viva em você sob o risco de admitir que o seu combate com quem está fora reflete os conflitos que habitam a própria alma.

Uma alma pacificada não declara guerras, não elege inimigos, não mata para dentro.

Quem cultiva a paz em si viverá em paz com o mundo, será solidário naturalmente, jamais rejeitará a mão do próximo. Pré conceitos e desconfianças gratuitas expressam medos, profundos medos enraizados na mente. São os que vivem em busca de alvos que sirvam de reflexos para continuar uma eterna briga com o que não tem coragem de encarar e cessar, dentro.

Tudo cura quando cura na gente.