Prazos

Padrão

Tudo na vida tem prazo de validade.
Em alguns casos pode durar menos, outros mais, o fato é que chega o tempo em que a textura muda, o sabor termina, o doce azeda.
Se nem tudo vem com rótulo, cabe a nós discernirmos o tempo de cada coisa, interpretando os sinais de que o que era bom deixou de ser. Venceu.
O problema não é que as coisas estragam, mas a nossa incapacidade em perceber que o prazo venceu.
Tudo muda.
Dê valor enquanto tem, entregue enquanto pode, mas, o dia em que o prazo vencer, não insista. Não lute contra ele.
Depois dos prazos, novas contagens, novas estradas, novas possibilidades; renovação.
Para tudo há um prazo, cada coisa o seu tempo. O que começa um dia acaba.

Buscas que cessam

Padrão

236022140_eb94792751_z

Um dia o jovem envelhece, as cores desbotam, a novidade perde a graça e a gente continua querendo mais. Insaciáveis bebemos em todas as fontes, experimentamos todos os gostos, vamos à todos os lugares, mas a busca não cessa e nos consome. Melhor encontrar na gente um lugar de paz. Nesse dia, não importa a distância, toda casa é lar, toda cidade é familiar, todos os rostos serão meus amigos. Não tenho inimigos pois todos os homens e mulheres, tudo o que existe, tudo o que é calou-se em mim. Aquietaram-se. No dia em que fiz as pazes comigo não precisei mais buscar e, sem buscas, desfiz as guerras. Todas elas. Encontrei-me.