Encontro em SP – Sábado!

Padrão

No próximo sábado estarei em SP. Os encontros não são palestras. Mas há exposições de ideias.
Não são dinâmicas de grupo. Mas os grupos são dinâmicos, especialmente na possibilidade de reconhecerem-se como humanos.
Não são formatados. Há liberdade para que cada um seja conforme a energia dos participantes, especialmente no espírito livre, na troca de ideias, nos momentos de reflexão. Se quiser ir, são as últimas horas para inscrição. Acesse http://www.lojadoflaviosiqueira.com, saiba mais detalhes e inscreva-se. Até lá!

1505986_921156384614338_2165162749557250425_n

Uma carta de gratidão

Padrão

Sai do ar e fiquei sentado na cadeira. Nem tirei o fone. As músicas não me distraem, as vinhetas, a rádio na minha casa, o computador com mouse de carrinho amarelo, os desenhos do meu filho na acústica. Permaneci quieto tentando organizar dentro de mim as vozes, as mensagens o carinho eloquentemente expresso por tanta gente querida. O programa comemorando 1 ano da web rádio Vagalume foi especial.
Ainda estou na mesma cadeira e agora o microfone está desligado. Me movo com lentidão, com reverencia, em gratidão. Respiro.
Grato pelo privilégio de compartilhar minha humanidade com tanta gente que eu nem conhecia. Por não me esquecer que só crescemos enquanto reconhecemos que há espaço, no caminho, na relatividade, na imperfeição que me torna um perfeito humano.
Grato por ser exatamente quem sou, ainda que falte muito, incompleto, mas a caminho. Por acreditar que é nossa “fraqueza” que nos vincula e não aquela “força” que se transforma em arrogância e sobrecarga, mas o reconhecimento prático e inclusivo de que, apesar de sermos indivíduos com características únicas, é nossa humanidade que nos torna semelhantes.
Para muitos sou um grande herege. Para outros um santo. Sentado aqui na cadeira, quieto, sei que não sou nenhum dos dois: contento-me em ser gente. Um cara que tenta ver e saber o que fazer com isso, que compartilha o caminho e, entre erros e acertos, sente que tem cumprido a mais elevada função que um ser humano pode assumir: servir e ser grato por isso. É um privilégio te servir, mesmo que seja para incomodar.
Obrigado mesmo!
Flavio

1 ano