Onde nasce o sentimento de solidão? – Vídeo

Padrão

Ser de novo

Padrão

Se estiver sofrendo, cumpra seu tempo em paz. Só não esqueça que ele tem tempo para terminar e, se você quiser, sairá melhor do que entrou. Desapegue-se da sua dor para que ela não apodreça e te estrague junto. É preciso caminhar e recuperar a felicidade no caminho, nos presentes e compensações que a vida dá, na coragem de recomeçar; ser de novo.

Medo da solidão

Padrão

Todo sentimento de solidão é gerado pelo medo de ser quem somos. Tentamos nos adequar e deixamos de ser quem somos. Nos perdemos, abandonados por nós mesmos.

Qual a tua verdade?

Padrão

Esse mundo está lotado de ideias, filosofias, regras a serem seguidas, discursos absolutos, cartilhas, leis, mandamentos, donos da verdade nas igrejas, nas Tvs, no rádio, na política, nas universidades, nas esquinas da vida.

Há sempre alguém defendendo uma ideia que tem cara de definitiva, uma “tese irrefutável”. Há fundamentalistas e pacifistas, religiosos, humanistas, esotéricos, místicos, capitalistas, comunistas, intelectuais, ideologias em excesso, construções em demasia, desentendimentos que levam ao mesmo lugar: confusão, intolerância, desamor.

É assim que permitimos nos condicionar. Por medo fingimos ser o que nem nós mesmos acreditamos, tudo por medo.

A razão pela qual precisamos desses rótulos está ligada ao fato de não crermos em nada que vá além da superfície, dos discursos, das formas, das fórmulas, das palavras, do que nos dê alguma sensação de segurança. Quem admite perder o controle e dar um salto no escuro em busca da verdade? Da própria verdade.

Desconstruções são fundamentais! Rótulos são apenas rótulos.

Não ande com medo de punições. Não seja por medo. Se é para temer alguma coisa, tema o cinismo de quem finge que vê, mas é cego, a amargura de quem se resignou na própria loucura e não permite que os outros enxerguem, que se agarra à alguma teoria somente por temer ser punido. Não tenha medo, mas tenha fé.

Ter fé não é acreditar em símbolos, amuletos, doutrinas ou pensar que amanhã tudo será conforme seus caprichos. Ter fé é caminhar em gratidão, perplexo muitas vezes, perdido tantas outras, sabendo que a verdade e a liberdade se conjugam, que todo aquele que procura em verdade, encontrará.

Permita-se caminhar em liberdade, sem medo. Não tente sufocar o próprio vazio, mas tente percebê-lo sem angústia. É preciso silêncio de alma para poder ouvir, ver, saber, reconhecer que, sim, é conhecendo a verdade que seremos libertos de nossos labirintos, nossos enganos e nossos temores.

Há muitas vozes no mundo. Há muita teoria, muitos caminhos para todos os lados. Há gente dizendo um milhão de coisas, mas, a questão é: qual a tua verdade? Está na hora de levar essa pergunta a sério.

Não tenha medo.