Não quero te “colocar para cima”

Padrão

Não espere que eu te “coloque para cima”. Não estou aqui para isso. Nem pense que me preocupo em reforçar o “lado positivo” de ninguém. Não tenho a menor pretensão em falar o que a maioria quer ouvir, nem suprir carências com palavras, portanto, não espere que eu seja um “palestrante motivacional”.

Sei que precisamos de motivos para viver, sei que muitas vezes a sensação é que eles não existem, sei como é. Mas também sei que, quanto mais buscamos “motivação”, mais distante de algo definitivo, como se a tal motivação gostasse de brincar de esconde na mesma proporção que nos dedicamos a encontrá-la.

É assim por uma razão muito simples: Quanto mais você se projeta em direção ao que oferece motivá-lo, mais dependente estará. Você pode sentir-se motivado por algum tempo, mas será preciso renovar a dose com intervalos menores, cada vez mais dependente da viagem, do livro, da palestra, do filme, do lugar, da pessoa, contextos que vivem fora de você.

E sua busca jamais terminará.

Projetará em mim, na Flavia, no fulano, no sicrano e, nos cobrará: “quero vídeos que me ponham para cima!”.

Essa não é minha função, especialmente porque tenho consciência de que, às vezes, o que eu tenho para dizer lhe colocará “para baixo”.

Já constatei muitas vezes que a descoberta do “lado negativo” pode ser bastante útil também. Aprendi que motivação não se encontra atrás de palavras bonitas e massageadoras de ego, mas tantas vezes a partir de desconstruções absolutamente necessárias para quem não tem mais escolhas a não ser enxergar-se. Enxergar-se é doloroso.

Não quero te colocar para cima. Se não estiver pronto para ser revirado para baixo, melhor ler livros de auto ajuda ou procurar palestrantes motivacionais profissionais. Eles estão aí para isso. No entanto, enquanto caminharmos juntos, esteja consciente: motivação não é algo que se encontra fora, mas dentro e, para penetrarmos em nossa interioridade é necessário desconstruirmos camadas, furarmos bloqueios, encararmos nosso lado negativo tantas vezes.

É difícil? É sim, porém necessário. Me perdoe, mas não posso fazer diferente.