Um dia corrido…

Padrão

Hoje não vou escrever um longo texto. São quatro e pouco da manhã, daqui a pouco o táxi chega, tenho que ir cedo ao aeroporto já que gravo de manhã na ACTV em SP, depois tem o encontro Limeira (hoje às 19h30) e amanhã, sábado de manhã, em SP. Vou me limitar a expressar minha gratidão pela oportunidade de construir meu caminho com tanta gente. Nossa vida é assim: uma construção, uma caminhada, um tempo de experiências e crescimento, onde somos desafiados a entendermos a essência das coisas.
Nessa caminhada não faz diferença o nível de conhecimento teórico, filosófico, teológico, psicológico. Não importa nossa intelectualidade ou nossa prosperidade financeira, o que temos, o que compramos, o que aparentamos ser. Nada disso.
Estamos em uma caminhada em direção à simplicidade, às desconstruções, à livrar-nos das sobrecargas que insistimos em trazer.
No fim das contas, por mais complexos que os problemas aparentem, mais insolúveis que acreditemos ser, tudo passa, tudo muda, tudo deixa de ser, portanto fica o que temos nos tornado e o legado que deixamos em amor e consciência.
Cabe a nós percebermos. Sem grandes fórmulas, sem novidades, sem mistérios inacessíveis, mas, pelo contrário, identificarmos em simplicidade, no cotidiano, no agora, razões para existir, significado para acordarmos e caminharmos em dias esquisitos, maus muitas vezes, mas, felizmente, carregados de “presentes” para quem aprende a desvencilhar-se do ego, aquietar-se e perceber. Hoje o dia vai ser corrido, portanto, estejamos nele! Bom dia pra gente. Fique bem