O passo mais poderoso

Padrão

Não estou dizendo que você deva se submeter a situações degradantes, que deva aceitar o que lhe faz mal ou simplesmente não deva fazer nada, como se não pudesse interferir nas relações e nas dinâmicas da vida. Não é isso, entenda:
o que estou dizendo é que antes de qualquer coisa você deve entender como o outro é, aceitar e amar, porque, agindo assim, criará um ambiente ou de conexão ou de afastamento, entendendo que entre tantas coisas que você pode fazer,
aceitar é o primeiro passo e amar, o mais poderoso. Quem ama entende com mais clareza quando chega a hora de ser firme, de dizer não, de tomar atitudes mais pontuais. – Livro Mensagens que chegam pela manhã

Superar o ego

Padrão

Precisamos do ego, da individualidade, do senso que ele nos aguça e pode ser útil se devidamente compreendido.
O problema é quando nos esquecemos que o ego é apenas um aspecto da mente e não corresponde ao todo, tampouco pode nos definir. É ai que nasce o super ego, ou seja, a identificação desproporcional com os condicionamentos que nos enganam, nos separam, nos blindam para enxergarmos além dos limites egoicos. Você não conseguirá matar seu ego por completo, nem é bom que seja assim, mas pode perfeitamente superá-lo, enxergando-se como um ser em movimento, em evolução, em crescimento permanente.

Prazos, ritmos, processos….

Padrão

O que estraga uma relação não é o fato de o outro ser diferente de nós, afinal, quem é exatamente igual? O que estraga é o fato de que, mesmo bem intencionados, não aceitamos prazos, ritmos e processos do outro, tentando imprimir na relação uma percepção única ― a nossa ― e, seja diretamente ou não, cobrando do outro aquilo que ele ainda não tem, não é e talvez nunca será. do Livro Mensagens que chegam pela manhã

Um eterno encontrar-se

Padrão

A vida é um eterno encontrar-se. 
Quantas vezes nos sentimos pedidos, carentes, vazios, distantes de respostas que nunca faltaram, mas, cegos, não vemos. 

Nossa pressa nos distrai, nos desloca, nos empurra para abismos, desertos e suas assombrações até que, pronto, nos encontramos. Nosso encontro é um reencontro com o que nos habita, o ponto de chegada de uma longa caminhada que tantas vezes pareceu sem sentido, mas nos trouxe até aqui.

Tudo nos move, nos muda, pode nos melhorar. Tudo é voz, é vez, é vida.

Podemos estar perdidos por um tempo, mas é só por um pequeno tempo porque, sim, a vida é um eterno encontrar-se. Me encontro no meu tombo, no meu choro, na minha dor.

Também estou na alegria, na gratidão e no sentimento de paz que transcende a inquietude. Me encontro apesar de enxergar tão pouco, de saber quase nada, da minha intoxicação de sentidos, de percepção, de clareza de valores.

Me encontro na perplexidade de quem sabe que não sabe, mas, ainda assim, todos os dias, confronta sua relatividade com a luz que mora dentro. Geralmente esses confrontos causam desconstruções doloridas, podem gerar dúvidas, falta de ar, até que me aquieto.

Agora o ar está calmo, as cores renovadas, o caminho plenificado de sentido porque a vida é um eterno encontrar-se e, nos encontros, a gente se cruza pelo caminho, ajuda um ao outro e cresce em consciência. É um prazer caminhar contigo !