O ego, os desejos e a consciência – Pouca coisa é necessária – INSIGHT

Padrão

“O ego é um “bichinho” que faz de tudo para dominar nossas escolhas, para nos fazer acreditar que somos tudo o que ele, carente, pequeno, voraz, é.” Nem percebemos o quanto somos estimulados por desejos insaciáveis que nos sequestram, prendendo em uma roda sem fim. Nesse mais novo insight falo sobre o ego, os desejos e a consciência, lembrando que de fato pouca coisa é necessária. Reflita comigo, cresçamos juntos !

Um desabafo de alegria

Padrão

 Amigos, acabei de ler dezenas e dezenas de mensagens solidárias ao desabafo que postei no fim da manhã. 

Confesso que depois me questionei se precisava tornar uma bobeira como aquela em algo público, ou por que me senti incomodado com um simples comentário maldoso.

Talvez o papo da “praga do câncer” tenha se juntado a outras besteirinhas que nosso amigo escreveu, o que acabou me irritando. Mas, com toda franqueza, acho que ele me pegou em um dia um pouco mais difícil, afinal, tenho algumas coisas para resolver e outras que andam me atormentando um pouco.

O fato é que depois que li o que li, senti uma profunda gratidão por fazer o que faço. É um trabalho solitário, você lê e recebe com alegria as mensagens de gratidão, isso é ótimo, mas tem horas que você questiona até que ponto as pessoas de fato entendem, até onde deveria se expor, insistir, ao mesmo tempo que impõe certas privações à sua família a medida que escolheu um caminho onde a remuneração basicamente vive no campo da gratificação interior.

Mas, como dizia, hoje me senti renovado, verdadeiramente privilegiado por tocar tanta gente. Cada mensagem, cada palavra, cada manifestação serviu para renovar o significado de estar aqui jogando garrafinhas no oceano, feliz pela oportunidade de ser útil para tanta gente que jamais saberei.

A vida é assim. Tudo o que escrevo, antes de tudo se aplica a mim, inclusive quando me refiro a dias mais difíceis do que outros. O fato é que o tempo todo temos oportunidades para enxergar as mensagens que nos renovam, nos tiram da zona de conforto para lembrar o que realmente importa, a razão de termos escolhido determinado caminho.

Meu caminho tem sido construído sob o amor de tanta gente querida e hoje quem quer agradecer sou eu, pela solidariedade, pelo carinho, pelo privilégio de experimentarmos nesse mundo o amor uns dos outros, nos ajudarmos e caminharmos juntos. Poder expor minha humanidade também é um privilégio. Obrigado por tudo! Flavio

FLAVIO SI

Um longo desabafo com tristeza

Padrão

Recebo diariamente muitas mensagens e procuro responder à todas. Infelizmente nem sempre consigo. Aprovo todos os comentários no meu blog (mesmo contrários a mim) e nunca apago nada aqui no Facebook.

Acontece que, de algumas semanas para cá, um homem tem visitado praticamente todos os meus textos no blog e deixado comentários sempre tentando contradizer na clara tentativa de me “converter” a fé dele, “provando” de alguma maneira que sou um cara vazio que precisa de “deus”.

Isso não incomoda, sei que está falando para ele e quem sabe um dia perceberá a si mesmo? Por isso aprovei os comentários (que estão no blog) até quando percebi que a tentativa de me converter estava virando proselitismo religioso, ficou mais deliberada, coisa que não permito em meu espaço que jamais servirá para essa finalidade. Meus espaços (todos eles) são para gente, para humanos e não quero que grupos dessa ou daquela crença tentem invadi-los de alguma maneira. Confesso que ainda me impressiono com a falta de percepção de gente que jamais entendeu a natureza humana e o que pode nos tornar melhores em amor.

Deus será eternamente um conceito vazio, um líder religioso perverso até que seja percebido sob perspectiva do amor, da inclusão, da consciência. Se não posso explicá-lo em palavras posso refleti-lo em meus atos, especialmente àqueles que me aproximam do próximo e o ajudam a reconhecer-se e aquietar-se. No fim isso é tudo o que importa.

Enquanto quisermos medir a espiritualidade de quem quer que seja por ser ou não parecidos com a gente e nos apressarmos em conclusões absolutamente desnecessárias e preconceituosas, cometeremos os mesmos erros que a história da religião aponta, as mortes, perseguições, fogueiras, exclusões que serviram apenas para intoxicar nosso olhar para o que é, distorcendo o Eterno para uma caricatura apequenada e feia.

Um claro exemplo disso é a última mensagem que o senhor “evangelista” me enviou fazendo duras críticas a entrevista que dei ao pessoal do “Folga na direção” e publiquei ontem aqui e no blog. Poupo você de todo conteúdo, mas, como pedagogia do absurdo, reproduzo logo ao término desse texto, com tristeza e pesar uma amostra do que certas pessoas consideram ser “sabedoria” e discernimento espiritual.

Gente como ele só me enche de misericórdia e do sentimento de que é preciso caminhar muito se quisermos um mundo melhor.

Eis parte do comentário:

“Amigão, dor! Nos poucos comentários que li sobre suas reflexões, pessoas buscam em você alívio para sua dor, fora os comentários daqueles que buscam um sentido para sua existência, assim como você mesmo. Que subsídios de você tem para mostrar o caminho de alívio a dor alheia? Você faz um apanhado superficial de conceitos científicos e filosóficos, Teoria Quântica, que nada tem a ver com espiritualidade, coisa comum nos livros de autoajuda. Assim como o espiritismo lança mão de conceitos semelhantes. A título de exemplo, o Éter Luminífero. Sabia que este conceito científico foi substituído, em parte, pelo princípio quântico, que em breve será substituído por outro, e por outro e por outro?

Bem, até agora, tudo que você tem feito talvez tenha lhe rendido dinheiro e uma vida privilegiada como você mesmo diz, mas a dor toca sua porta. Não o desconforto que é a existência humana sem o Deus verdadeiro, mas dor de fato. O câncer é uma bomba relógio armada. Você não está livre dela, mas apenas a desarmou. Anos de angústia que serão revividos a cada exame, não? Viver assim é mesmo complicado, Flávio. Você removeu a erva daninha, mas não a raiz, que é espiritual.”

Flávio, me perdoe, mas você está inserido exatamente nesta citação, veja: “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!” Jeremias 17:5

PS: Minha vida é “rica” e “privilegiada” de gente e de amor. As conclusões do amigo sobre a quantidade de dinheiro que ganho é mais um de seus equívocos precipitados e preconceituosos.

Dicas simples para uma vida feliz

Padrão

Viva com alegria aonde quer que esteja. Enfrente com fé o que quer que seja e caminhe em paz e humildade, sabendo que todos nós estamos crescendo, experimentando aqui e agora os benefícios e implicações que sofrem aqueles que, apesar de tudo, escolheram ser amor.

Não tente corresponder expectativas. Elas sempre nos encaixotam e roubam a espontaneidade de sermos o que somos. Desconectado de sua essência jamais poderá enxergar a realidade, portanto, seja honesto com aquilo que lhe habita.

Não complique as coisas. As respostas mais profundas moram na dimensão da simplicidade que se conecta à um coração simples. Quanto mais tentar complicar, quando mais voltas der, mais longe estará, mais difícil aparentará. Seja simples e tudo ficará mais claro.

Seja humano. Ainda que isso contrarie as convenções de seu grupo, ainda que lhe pareça absurdo, ainda que a sensação de que humanidade da maioria tenha virado apenas condicionamento, não permita que seja assim contigo. Enxergue as pessoas, trate a todos com respeito e igualdade, não importa quem sejam, sem interesse, jamais projete nenhum tipo de expectativa.

Aprenda a viver com menos. O desejo nos corrompe, nos escraviza, nos expõe às mensagens que não param de chegar e nos invadem o tempo todo querendo convencer que você precisa de mais, mais e mais. Interrompa esse fluxo, ele pode te arruinar.

Ame. Nem sempre é fácil ser amor. Será necessário dizer não, o amor não engana, não adula, não distorce. Enxergue com consciência sabendo que o amor não é uma atitude isolada, mas, sobretudo um estado de espírito.

Saiba, você pode discursar para milhões de pessoas, ser especialista em assuntos quânticos, conhecedor de mistérios da física, da teologia, da espiritualidade, doutor naquilo que mais impressiona os homens, no entanto, tudo isso passa. Sua posição, sua conta bancária, seu carrão, sua aparência, sua sabedoria, a admiração; tudo deixa de ser.

Ficará o que você é, a relevância que teve na vida dos que passaram por você, o quanto tocou e influenciou de alguma maneira o mundo aonde teve o privilégio de estar por algum tempo.

Você não é o que fala, nem o que ensina, nem o que aparenta. Você é a mensagem e sua vida o cenário para que aprenda, caia, levante, caminhe como um ser pacificado, grato e iluminado pela consciência das coisas simples da vida, do que realmente importa. Cuide-se, tenha um dia de paz !