Bate papo: O caminho do meio e os perigos da intolerância

Padrão

Amigos, mais um bate papo em áudio para gente refletir. Nessa reflexão falo sobre a notícia de que o IPEA corrigiu a pesquisa que apontava para um número alarmante: 65,1 dos brasileiros se declaravam favoráveis ao estupro no caso de mulheres com “roupas chamativas”.

O novo número não deixa de ser alarmante: 26% acham que essas mulheres merecem ser estupradas. Esse absurdo me fez pensar em como temos nos posicionado como indivíduos que se esqueceram o caminho do meio, do equilíbrio, da consciência.

Nos tornamos maniqueístas, promovemos discursos “ultra liberais” ou “ultra conservadores”, tanto faz, sem perceber que, tanto um lado, como outro, promovem a mesma coisa, a falta de equilíbrio, de bom senso, da consciência que nos permite enxergar a real dinâmica das coisas.

Parece que estamos perdendo nossa capacidade de olhar humano, seja no exemplo da tolerância ao estupro, nos posicionamentos políticos, religiosos e filosóficos, e, por isso mesmo, servindo cada vez mais de massa de manobra, de joguete nas mãos de gente que se alimenta, tanto de um lado, como de outro, afinal, tudo faz parte de uma coisa só. Ouça o bate papo e de sua opinião. Bom domingo pra você !

https://soundcloud.com/flavio-siqueira-1/bate-papo-com-flavio

Os milagres

Padrão

O milagre existe, mas não está lá, ele vive aqui, sempre, naturalmente, sem estardalhaços, sem shows, sem alaridos.
Não deve ser recurso para sequestros de qualquer natureza, tampouco artifício de controle e enriquecimento de ninguém.
O milagre é natural, mora dentro da gente e acontece sempre que um olho que não via passa a ver, um coração empedrado passa a amar, uma mente fechada se abre em consciência.
Esse é o maior dos milagres, acessível, transformador, revelado pela simples percepção de quem desperta em amor e entende que o milagre somos nós. Livro Mensagens que chegam pela manhã