Um desejo…

Padrão

Ainda que o dia aparente banal, ainda que as coisas estejam mornas, sem sal, sem muita cor. Ainda que os dias estejam difíceis e você tenha sido pego de surpresa, ainda assim, que a felicidade se expanda em seu coração e a paz seja fruto do nada, inexplicável, insurgente, indiferente ao cenário agitado, seja ele qual for. Que assim seja hoje e o quanto você permitir.

Como colocar tudo isso em prática?

Padrão

“…Adoro tudo o que escreve! Mas não sei como colocar tudo isso em prática…”

Para colocar o que escrevo em prática não é preciso técnica.

Não falo sobre segredos, mistério reservado à iniciados. Falo sobre a necessidade de nos aquietarmos e simplesmente percebermos o que já é.

Não proponho que criemos nada, pelo contrário, proponho a desconstrução de tantas construções desnecessárias, entulhos que projetam sombras, criam labirintos e dificultam a visão. É por isso que não enxergarmos, não é porque temos de menos, mas nos sobrecarregamos demais.

Quer praticar o que escrevo? Não tente, não se esforce, não se cobre, tampouco projete inquietude sobre isso. Descanse, relaxe, livre-se do peso desnecessário.

Não será como fruto de esforço ou por nenhum mérito seu, simplesmente acontecerá. Fique bem !

Encarando fantasmas

Padrão

Depois que enxerga seu “fantasma” você percebe que todo aquele tamanho, aquele rugido ameaçador, só se projetava na sombra, afinal, ele não era tão grande assim, foi você quem o alimentou, que projetou nele seus medos e fez com que crescesse até que despertou, projetou luz e o enxergou.

Essa é uma descoberta maravilhosa ! É perceber que as algemas que te prendiam, as ameaças, as culpas, as dores, vinham todas de você e se projetavam em relacionamentos adoecidos, em codependencia, em insegurança. Quando luz se projeta sobre sua autopercepção, finalmente descobre suas potencialidades, seu caminho é naturalmente redirecionado conforme o que agora vê.

Lembre-se: todo nosso mundo exterior, todas as relações, todos os ambientes que nos encarceramos, são reflexos dos carceres da alma, da maneira como estamos por dentro. Ninguém pode de fato lhe aprisionar a mente se não houver concessão de sua parte. Libertando-nos, seremos livres em tudo.