Existe algum caminho que devo seguir?

Padrão

O silêncio é nosso estado natural.

Parece difícil porque nos inserimos na cultura dos ruídos, das vozes, das luzinhas, dos cliques, do nunca estar parado, da produtividade, das metas, do foco, do “tempo é dinheiro” e assim, sem que percebamos, deixamos que o fluxo de um sistema que não promove reflexão, nos imponha aquilo que chamamos de “estilo de vida moderna”.

É compreensível que seja dessa maneira, afinal, seres minimamente atentos jamais aceitariam viver como vivem com tanta passividade.

Ou você acha que é a fé no consumo é algo natural? Será que nascemos com o DNA da produtividade, prontos para superarmos metas todos os meses? Nosso corpo, nosso cérebro é compatível com o tipo de alimentação, de entretenimento, de lazer, de cobranças que aderimos? O medo propagado pelos governos, pela publicidade, pela mídia, pela religião, pelos sustos diários de quem vive na cidade é inofensivo para nossas almas? Somos educados para saber, conhecer, experimentar, criar, ou será que nossa educação promove acumulo de informações com objetivos específicos como entrar na faculdade e ter uma profissão?

Até que ponto eu e você estamos inseridos nessa teia de sutilezas muitas vezes, outras tantas de uma intensidade escancarada, mas, de qualquer maneira sempre envolvendo, dominando, tentando conter o que nos é natural?

Chegamos aonde eu queria: o que nos é natural?

Ora, é o silêncio, é o estágio que olhamos daqui com perplexidade, achando que jamais chegaremos “lá”.

A questão é que o “lá” está aqui. Já é.

É você e tudo o que você precisa fazer é percebê-lo.

Simplesmente preste atenção no que no dia a dia deixou de ver. Veja as pessoas, enxergue-as, ouça o que dizem, esteja atento. Olhe para si mesmo, repare como sua alma fala e tente responde-la com simplicidade, sem esforços, sem cobranças, sem formulas mágicas.

Não há necessidade de mestres ou religiões, de dogmas, catecismos, leis, cartilhas, técnicas ou o que quer que seja, apenas fique em silêncio, desintoxique-se, desentupa os sentidos, ouça, veja, respire, preste atenção, recupere-se, desconecte-se desse fluxo, esteja aqui, viva o hoje, apenas o hoje.

Fazendo assim, os hábitos começarão a mudar, os pensamentos diminuirão a intensidade, mudarão as importâncias, as prioridades se alterarão e, claro, consequentemente seu caminho também. Tudo com naturalidade, em paz.

Existe algum caminho que devo seguir? Siga o seu. Ele está dentro de você. Tudo o que precisa fazer é parar com tantas questões, aquietar-se e deixar que ele te conduza. Simples assim.