Significados e acontecimentos

Padrão

Olha, preste atenção, conecte o que vai ler com o que está vivendo. Sim, é para você essa reflexão: Tudo depende de como encaramos os acontecimentos e, sobretudo, como projetamos significado no que acontece. Não são as pessoas, nem os acontecimentos, nem as perdas, nem mesmo a morte que nos faz mal.

Não são necessariamente os maus tratos, as grosserias ou armadilhas que colocam em nosso caminho. Sei que dói, somos humanos, não estou dizendo que é fácil, mas, repare: pessoas diferentes reagem de maneiras completamente diferentes a acontecimentos iguais; males coletivos despertam reações únicas e individuais conforme cada um vive sua própria experiência.

Uns sofrem mais, outros menos, outras não sofrem, uns crescem, outros retrocedem, uns veem lições, outros apenas tragédias. Ninguém tem o poder de lhe afetar, nada pode lhe fazer mal, nenhum acontecimento lhe tocará a não ser que você conceda. Não são os fatos, é você. Pense nisso.

Vamos combinar?

Padrão

Vamos combinar uma coisa? Observe as tentativas de sua mente para chegar a conclusões, fazer ilações, reclamar, e somente observe. Deixe que ela fale. Perceba como somos carregados por movimentos de autossabotagens, na tentativa de criar cenários que reforcem nosso ego, ainda que o cenário seja negativo.

Você percebe?

Padrão

O mundo é sempre o mesmo.
Todos os dias o sol nasce de manhã e depois se põe.

Enquanto uns dormem, outros trabalham durante as madrugadas.

Nas ruas os carros vão e vem, enquanto executivos, estudantes e donas de casa dividem apressadamente a mesma calçada.

Apesar dos visíveis avanços tecnológicos e científicos, como diria o escritor de Eclesiastes, nada é novo debaixo do sol.

No entanto, apesar dos bilhões de anos da Terra, a existência só tem a idade de nossa percepção.

Foi quando o homem discerniu que existia e começou a estabelecer referências que de fato a vida começou.

É nossa capacidade de perceber que traz luz aos contextos e faz com que, a partir de então, passem a existir.

O mundo é sempre o mesmo porém o que muda é o olhar.

A maneira como percebemos as coisas reflete exatamente nossa condição interior e isso faz toda a diferença.

Temos a tendência de culpar possíveis traumas de infância, má sorte na vida, falta de amor da esposa ou dos pais por nossos desacertos. A verdade é que frequentemente nos escondemos atrás de desculpas.

Seu olhar denuncia o que te habita.

Se seu coração for cheio de paz, a vida parecerá mais leve.

Se nele habitar mágoa, seu espírito será de acusação, sempre na defensiva e cobrando da vida como se todos te devessem alguma coisa.

Para esse o oceano será somente um ajuntamento de água, o céu azul uma mistura de gases, o amor somente reflexos químicos ativados por carências psíquicas.

Quando estamos sem luz o olhar não vê nada além de nossa própria escuridão.

Problemas todos tem, mas a maneira como olhamos para eles muda tudo. Um olhar sereno, cheio de sabedoria, tem a capacidade de dissecar o mal, absorvendo da calamidade o que faz bem.

Como já falamos aqui, não existe o mal que é sempre mal nem bem que é sempre bem.

Bem e mal convivem a partir de bilhões de possibilidades em todos os desdobramentos que as situações podem desencadear em nossas vidas.

A grande questão é : você percebe?