O mundo inteiro fala, só você não ouve

Padrão

Você que está ai matando tempo na internet, curtindo piadinhas e comentários de humor duvidoso, permita-se alguns minutos. Saia do fluxo da mediocridade e reflita sinceramente: Você acha que a vida vai ficar boa quando determinada condição acontecer sem perceber que o que você precisa de verdade, o que realmente fará diferença, está ai, se espalha pelo teu caminho com tamanha eloquência que tudo aponta para uma coisa só, tudo fala, tudo contribui para o bem daquele que vê.

Suas causas são miragens na maioria das vezes, suas dores, desculpas, em tantas outras, sempre andando em labirintos, correndo em círculos por se recusar a parar, aquietar e perceber.

Insistimos em ficar na jaula, gostamos das algemas, nos contentamos com pão e circo sem jamais cogitar que existem bilhões de possibilidades de enxergar a mesma verdade que comunica através de outras bilhões de maneiras, está em tudo, jorrando, apontando para dimensões que, uma vez compreendidas, mudariam radicalmente nossas prioridades.

Esse vídeo é uma oportunidade. Um jeito simples para que você entenda verdades essenciais e que podem fazer completa diferença daqui para frente. Não desperdice mais uma vez.

Vem ai o Encontro SP – último de 2013

Padrão

Amigos, para quem ainda não se inscreveu para o Encontro SP, no próximo dia 15, o último do ano, lembre-se que estamos na reta final, faltam poucos dias e as vagas são limitadas. Esse encontro será especial, afinal, teremos mais tempo, mais interatividade e mais oportunidades para compartilharmos experiências, nos conhecermos e crescermos juntos. Será um privilégio pra mim se você for. Quer saber mais? Escreva para encontrospelobrasil@gmail.com As informações estão concentradas lá. Fico aqui no teu aguardo. Até breve!

flavio estudio2

Tudo vai dar certo!

Padrão

Tudo dará certo. Sempre dá.

Nem sempre o certo é o que queremos, nem sempre é o que achamos certo, mas é certo que o certo sempre é. Pessoas boas também estão expostas ao sofrimento, também adoecem, também são surpreendidas pelas “calamidades” da vida, todos estamos, no entanto, isso não pode nos matar, ainda que chegará o dia em que o corpo morrerá, mas nem isso nos mata.

Tudo pode ganhar significado se a atmosfera diante da crise for de gratidão.

Gratidão por todas as possibilidades de amor que cada evento carrega e se projeta nos cuidados, na esperança, no olhar de fé, pelos deslocamentos que me tira da zona de conforto, pelas dores que me livram do entorpecimento de consciência, pela relativização que me expõe sob a luz do autoconhecimento, pelo gosto amargo que me salva da embriagues de sentir, perceber, refletir, viver, que me desentope os sentidos, me desintoxica do ego.

Não vincule sua paz a desfechos específicos, afinal, não sabemos o que é bem e mal. Basta um pequeno vasculhar na memória para lembrarmos de eventos que nos fizeram bem, mas chegaram com cara de mal, e outros que tanta dor provocaram, apesar de esperados, de parecerem do bem.

Sua paz deve nascer da certeza de que, aconteça o que acontecer, no fim, tudo dá certo, que a vida cumpre seus ciclos, que em toda situação de dor inexoravelmente há presentes de amor, há um fluxo natural de graça, de luz, que me conduz não necessariamente para onde quero ir, mas para onde preciso chegar.

Nem sempre o certo é o que queremos, nem sempre é o que achamos certo, mas é certo que o certo sempre é. Descanse, ame e espere o melhor. De um jeito ou de outro o melhor sempre chega. A gente só precisa se pacificar e então enxergar. É assim que é.