Por que os problemas se repetem?

Padrão

Ninguém gosta de problemas, quem não os evita? Mas às vezes nossa tentativa de fugir, a maneira assustada como tentamos resolvê-los, dificulta a percepção em relação a luz, sim a luz, que aquele problema pode trazer.
Então ele se repete, repete, repete, até que finalmente o acolhamos para entendê-lo. Crescemos em consciência e muitas vezes nos espantamos com a velocidade que aquilo que nos causava dor agora se dissolveu, ou no mínimo não incomoda mais.

Mestres

Padrão

Considerar-se espiritual porque se tornou menos humano, se afastou, isolou, distanciou-se da realidade do próximo por acreditar que ascendeu para uma condição de superioridade e agora é venerado, é um grande engano.

Esse não percebe como está atrás de quem nem sabe o que é ser espiritual, mas ama, compartilha e caminha atento, sem dogmas, sem formulas, sem discursos, sem cartilhas, apenas disponível e solidário, praticando sua espiritualidade na prática, nas demandas da vida, sem alarido, seguidores, reconhecimentos ou aplausos. Os verdadeiros mestres não costumam ser reconhecidos.

Nossas crianças

Padrão

Acredito que toda criatividade está ligada a nossa capacidade de enxergar, ver nos detalhes do dia a dia elementos que inspiram e conectam.
As crianças são o maior exemplo do quanto podemos ir longe, ver sem travas, sem culpa ou medo de errar.

Já faz algum tempo que venho insistido que, infelizmente, boa parte do nosso sistema (educacional, econômico, religioso, filosófico) é montado para nos roubar isso. A ideia é formatar pequenos seres criativos e naturalmente curiosos, em adultos programados para consumir, votar, aceitar sem questionar, transformando-se em adultos medíocres, dependentes, entretidos e obsessivos pela felicidade.

Quem cuida de uma criança, instigue, provoque pensamentos diferentes da média, incentive a leitura, converse, pergunte, responda, provoque curiosidades e a necessidade de saber mais. Ajude a lidar com seus erros, não seja rigoroso sem amor e não ame sem rigor, deixe que ela seja feliz, mas não tente evitar a qualquer preço seus inevitáveis confrontos com a infelicidade, ainda que você se esforce para minimizá-los, não se esqueça que o sofrimento amadurece e faz-se necessário.

Mais do que estar, seja presente, seja amigo, seja humano, não esconda sua fragilidade, não mascare seus erros, peça desculpas quando achar que exagerou, olhe nos olhos, abrace, beije, ame e assuma seu amor. Lembre-se: não projete em ninguém, nem na escola, nem na babá, nem nos avós, tampouco na televisão ou no computador a responsabilidade e, sobretudo, o privilégio de transformar crianças em homens e mulheres felizes, sábios e equilibrados.

De manhã

Padrão

Sabe aquela noite de chuva torrencial, quando pingos explodem na janela com violência, uivos de vento misturam-se com trovões, flashes de raios rompem trevas de um tempo que parece nunca acabar? Você se enrola no cobertor, fecha os olhos e sente saudade de alguma coisa que não sabe o que é.

Aquela chuva, aquele vento, aquele temporal lá fora refletem a agitação de dentro, a nostalgia, o inexplicável medo de escuro, a solidão que desafia o tempo na noite sem fim. Você chora, primeiro devagar, depois soluça e chora mais em profunda solidão até voltar a ser a criança que não tem mais lágrimas, suspira, fecha os olhos, entrega-se e dorme.

Um raio de sol penetra o sonho esquisito, bate no rosto e lhe acorda. Não há mais chuva. Você joga os cobertores para o lado, se levanta, espreguiça e abre a janela: O sol, as pessoas, o cheiro de mato, os pássaros, a iluminação que reflete sobre as folhas ainda molhadas, estão todos lá, você nem viu quando voltaram.

Lá fora a chuva passou e aqui dentro a percepção de algo novo, um estranho sentimento que nasceu na escuridão da noite, mais forte, mais experiente, mais consciente de que a madrugada tem fim, a chuva passa e os trovões são apenas trovões; que o choro pode durar uma intensa, escura e chuvosa noite, mas, a alegria, a pacificação e o consolo logo virão e, com eles, a manhã.

Talvez sua noite esteja terminando, talvez tudo o que precisa seja esperar um pouquinho mais, suspirar e descansar. Daqui a pouco o sol voltará a brilhar e tudo será diferente. Espere mais um pouco, acredite e verá. Verá sim.