Sem angustia

Padrão

Toda angústia projetada sobre a vida, reflete mais angústia. Toda inquietação, pressa, desgaste, irritação, falta de esperança, produzirá correspondentes que se reproduzirão em nosso caminho e refletirá nos acontecimentos.

Colhemos o que plantamos, portanto entenda: Não me refiro a deixar de produzir, de fazer escolhas, de estudar, de fazer o que precisa ser feito. Não é isso. Falo sobre a necessidade de atentar para um detalhe fundamental: Quem semeia angústia, cultiva inquietudes, se sobrecarrega com pré-ocupações; colherá o equivalente. Cada coisa no seu tempo, cada passo em sua hora.

Importa acalmar-se. As coisas se encaixam e você nem vê, se entrelaçam, combinam, vinculam, e você ignora. Sequer considera o fluxo natural que posiciona os eventos de nossas vidas para que no fim uma coisa comunique com a outra, se complete, adicione, seja tijolo nas construção da morada de dentro, onde de fato existimos, onde realmente importa. Só perceba, sem angústia, só isso.

Para quem quer ser de fato relevante

Padrão

Toda escrita, toda fala, toda expressão de espiritualidade confina o que está acima dos códigos. Quando sento e escrevo um texto, sei que estou afunilando o que não tem limites conforme meu entendimento, minha cultura, meu olhar, minha limitada percepção. O mais eloquente entre nós não é capaz de traduzir o intraduzível e tudo por uma simples razão: para que o acesso seja igual, aberto, disponível e não mensurável, nunca confinado a qualquer tipo de intelectualidade ou conhecimento específico. Nenhum de nós tem poder ou controle sobre o que é.

Eu escrevo, gravo videos, há outros que também fazem, há gente falando, gente usando a criatividade, as tecnologias, investindo dinheiro, vendendo milhares de livros, mas, saiba, nada é tão eloquente quanto aquele que brilha com simplicidade, com clareza de olhar, pureza de intenção. Qualquer criança é mais pura, portanto mais próxima da verdade do que qualquer “mestre”. Aliás, o “mestre” que não for como uma criança será apenas um presunçoso que pensa que sabe.

Nada é maior do que o poder de se disponibilizar a amar, ser, estar perto, não julgar, enxergar com pureza, sem nenhuma outra intenção a não ser servir. As pessoas não são vistas, não são ouvidas, a maioria está preocupada com sua própria vida, seus interesses, em como levar vantagem.

Quer ajudar as pessoas? Não precisa escrever livros, gravar vídeos ou ser popular. Não precisa de discurso articulado, frases bonitas, textos complexos, livros profundos, PHD em nada, tudo isso é secundário, tudo superficial.

Para ajudar as pessoas, seja humano. Simplesmente esteja presente nas demandas que aparecerão e responda sempre em amor. Responda em amor no cotidiano, no trânsito, na rua, com colegas, com familiares, o garçom, o porteiro, o motorista do táxi, o chefe. Não pregue nada à ninguém, não tente convencer ninguém de nada, não queira mudar o comportamento de quem quer que seja, não crie estratégias, sem catecismos, doutrinas, dogmas que só fazem mal, não! Apenas, ame. Isso basta. Isso é tudo!

O que podemos fazer a mais, falar, escrever, produzir, enfim, são complementos, mas nunca a essência. Quem ama brilha e, onde há luz, há luminosidade, as pessoas simplesmente enxergarão naturalmente. Para ajudar as pessoas seja humano, não se perca em você mesmo, ajude-se e não alimente grandes pretensões, sonhos ambiciosos, projetos revolucionários, metas utópicas. Se um dia tiver que acontecer, será reflexo da caminhada, consequência natural de quem decidiu andar em amor com simplicidade, com verdade. Portanto limite-se a caminhar em amor.

Não há fórmulas, nem regras, nem cartilhas. Ame, seja amor, onde quer que esteja, seja com que for. Essa é a linguagem universal, o vínculo que nos fortalece, nos aproxima e fomenta a paz.