Não fuja

Padrão

Ninguém gosta de problemas, quem não os evita? Mas às vezes nossa tentativa de fugir, a maneira assustada como tentamos resolvê-los, dificulta a percepção em relação a luz, sim a luz que aquele problema pode trazer. Então ele se repete, repete, repete, até que finalmente o acolhamos para entendê-lo.

Sinto-me desconstruída. Amor é uma utopia. Será que estou entorpecida? – Pergunta Leitora

Padrão

Pergunta Leitora: Olá, Flávio.
Vi seu vídeo na internet sobre a desesperança e foi muito pertinente para mim num momento conturbado da minha vida pessoal. Há três meses conheci um homem muito interessante, inteligente, maduro e diferente de todas as experiências que já tinha vivido. Foi muito bom e pensava (finalmente), ter encontrado quem eu procurava. Me apaixonei! De uma hora para outra, tudo mudou… ele começou a dizer que tinha muitos problemas (pessoais e privados) e se afastou de mim. Sumiu. Eu, me sentindo sozinha, terminei o namoro. Estou péssima, um terremoto me atingiu e me perdi na tempestade. Pensei: Perdi a esperança!!!
Diante dessa situação, constatei o quanto me fechei pra vida! Deixei de me relacionar com pessoas amparada por um medo insuportável de viver. Abdiquei da minha vida pessoal em troca de estudar.. no final das contas, me formei mas não quero exercer a profissão (sem vocação). Meus amigos depois de alcançarem sucesso, desapareceram!
Flávio, suas palavras edificam e mexem comigo, porém como é difícil praticar o que você diz. Não consigo aquietar, porque minha alma grita, sufoca. Penso que eu não tenho mais jeito, minha autoconfiança é ZERO! Parei de escrever meus poemas e textos por achar que era em vão. Sinto-me desconstruída. Amor é uma utopia. Será que estou entorpecida?
Por favor, me ajude!

Resposta Flavio: Você me descreveu que, ao encontrar o “homem muito interessante”, finalmente encontrou o que procurava. O que você procurava? Segurança, amor, cumplicidade…o que? De repente ele apareceu, inteligente, maduro, diferente das experiências que você já tinha vivido. Chegou e pareceu se encaixar no que você procurava. “É isso!” – Precipitou sua mente e pronto, esse homem, que é apenas um homem, foi imantado por tudo o que você procurava. “Me apaixonei!” – você me escreveu. E, apaixonada, como entender que tudo o que você procurava/procura, não estava nesse homem? Nem em outro, nem em nenhum, por melhor que seja, por melhor que vier. Nem na profissão, nada! E sabe quando isso ficará claro para você? Justamente quando parar de procurar por ai e entender que essa tal felicidade que você me pergunta se é utopia, existe, e mora em você.
Tenho uma frase em um dos meus textos que sugere ” antes de encontrar a pessoa certa, encontre-se, para não sobrecarregá-la com a responsabilidade de te fazer feliz”. Nenhum homem, ou mulher, ou quem quer que seja, aguenta essa sobrecarga. Provavelmente esse homem não aguentou. É natural. Nem pai, nem mãe, ninguém. Ser feliz é responsabilidade de cada um, mas nunca entenderemos isso, nunca seremos felizes, nunca encontraremos o que estamos procurando, parece que tudo continuará eternamente vazio enquanto projetarmos em alguém, em algo ou em qualquer coisa que estiver fora da gente. Continuaremos cativos das emoções, hora radiantes, felizes, apaixonados, hora deprimidos, desesperançosos, autovitimizados, como se não houvesse lugar para gente nesse mundo.
Nosso lugar nesse mundo é o único onde cabe o mundo inteiro, nossa interioridade. Portanto, aquiete-se. Esqueça as possibilidades, independente de quais sejam, de encontrar a felicidade fora de você. Isso não existe. A boa notícia é: em você, há felicidade, há paz, há Deus, então, descanse, não de ouvidos para o choro, as lamentações e ruídos produzidos por sua mente. Ela apenas tenta fortalecer seu ego, ainda que de forma negativa, para que você se enfraqueça, se desvie de si mesma. Não faça mais nada. Não tente. Não corra atrás. Não projete. Não faça planos. Não se desespere. Apenas pacifique-se e, silenciosa, simplesmente ouvirá. Pacificada, simplesmente verá. Está tudo ai em você, não fuja e, lembre-se: antes de encontrar a pessoa certa, encontre-se, para não sobrecarregá-la com a responsabilidade de te fazer feliz. Eu sei que vai conseguir. Vai sim.