Agora é em Porto Alegre

Imagem

39 RFNDXzAyMzguanBn

Pragmatismo e consciencia

Padrão

Não sou contra atitudes pragmáticas, mas contra o pragmatismo, quando vira ideologia, quando fica acima do bom senso, quando ser pragmático faz com que os fins justifiquem os meios, que eu perca a dimensão das sutilezas,que me esqueça que para cada coisa há seu devido tempo. Confesso que me incomodo com o pragmatismo no sistema educacional que, em parte, parece perder a sensibilidade para o que vai além da preparação para os vestibulares, das universidades que priorizam o mercado de trabalho e se esquecem do conhecimento, do tal mercado de trabalho que, pragmaticamente, pensa nos lucros e esquece das pessoas, no sistema político, cada vez mais pragmático, na espiritualidade que pragmaticamente promete “sucesso” na vida sem transcendência, sem reflexão, sem silêncio. Sejamos pragmáticos, mas que o pragmatismo não seja nosso motor. Nesse Insight, uma reflexão sobre o assunto, um contraste sobre Pragmatismo e consciência. Que seja útil para te fazer pensar.

O que está faltando?

Padrão

Há muitas vozes. Apontamentos frenéticos, encaminhamentos persuasivos, sutis, sedutores, salvadores, milagrosos. Gente depondo, testemunhando, propondo com eloquência sobre caminhos, sobre saídas, sobre respostas que ocuparão o espaço das dúvidas e as saciarão instantaneamente. Há quem se ofereça como mestre, como guia, como luz para quem tateia entre vultos, para quem tropeça e não vê. Holofotes se digladiam, frenéticos, nervosos, apontando aqui ou ali, tentando brilhar mais, arregimentar, atrair, arrebanhar, convencer quem ainda não percebeu que tudo mora dentro. Não há nada que supere o fato de que o máximo que alguém pode fazer por você é te lembrar que as respostas estão ai, na sua interioridade. Não está fora, está dentro. Não é lá, é aqui. Não é amanhã, é agora. Não é nele, é em mim. Há muitas vozes, há ruídos, alvoroço, multidão. Esqueça tudo isso. Silêncio. Aquiete-se, pare de correr atrás de todas as caravanas, todos os bondes, todas as bandas. Ouça suas próprias angústias, suas questões, suas dúvidas, seu corpo, sua alma, seus vazios, deixe que eles te falem o que querem dizer; não os mascare. Descanse, está tudo bem, tudo perto, tudo dentro, tudo em você. Lá fora está cheio de gente falando, há muitas vozes, propostas, caminhos…Quando você irá parar e, no caminho da simplicidade, ouvir sua própria voz? Será que não é isso que está faltando?