Ainda sobre meu texto refrente a entrevista do Silas Malafaia – Um comentário de uma leitora do blog

Padrão

Entre xingamentos e ameaças por discordar de um “ungido do Senhor” ,acabei de receber um comentário tão legal aqui no blog, referente ao meu texto sobre a entrevista do Malafaia, que achei oportuno destacar. Ele é da Kamila M. Teischmann, Dá uma lida:

Flávio, coaduno com suas palavras. Ao ler sua opinião e os comentários (os contrários, claro), veio à mente trecho de uma entrevista dada pelo queridíssimo ex-Ministro do STF, Carlos Ayres Brito, transcrevo:

“Mas não há vácuo na natureza. O que acontece? O vácuo vai ser preenchido pelo universo, pelo Cosmos, pela existência, outros preferem dizer por Deus. Expulse de si o ego que o espaço deixado por ele vai ser instantaneamente ocupado pela existência. Aí você dialoga com a existência, isso é elementar. Aí você tem um vislumbre do eterno, do definitivo, mais clarividente, você abre os poros da lógica, do seu cartesianismo, você vê o direito por um prisma novo.

Agora, você paga um preço por isso. Qual é? Quando vê as coisas por um prisma totalmente novo, a sociedade não tem parâmetro para avaliar seu prisma diante do inédito para ela. Você é um antecipado, viu antes dela. O que ela faz, lhe desanca, lhe derruba, se não ela vai se sentir menor, inferiorizada, aturdida. O que ela faz, ela lhe desanca, você está errado, ou então você não é um cientista, você é um mistificador.

A sociedade não tem parâmetro para analisar os antecipados no tempo. Veja a lógica das coisas, o tempo só pode se guiar por quem anda adiante dele. São os espiritualistas, os artistas, porque eles não têm preconceitos, pré-interpretações, pré-compreensões.”

Essa nova era de liberadade de expressão e, mais de liberdade de mente, alma e coração, traz certo desconforto aos acomodados, que preferem ver o mundo como lhe teceram, não como é: diverso, e bonito, também por isso.

Um abraço.

Meu comentário:  Confesso que essa semana fiquei triste quando vi tanta ignorância e resignação, tanto atrofiamento mental, tanto radicalismo fundamentalista, tanto fanatismo de uma vez só. Às vezes a sensação é de remar contra a maré, falar sem que ninguém ouça, escrever para que poucos entendam. Mas são mensagens como essa que me animam e reforçam a certeza de que alguns entendem e esses brilham onde quer que estejam. É isso que faz valer a pena !

5 comentários sobre “Ainda sobre meu texto refrente a entrevista do Silas Malafaia – Um comentário de uma leitora do blog

  1. leandro

    Agora são os “tijolinhos”, antes a “fronha”, antes a “meia”, e a conta miLHIONÁRIA e as posses. E é bom, pois todos que frequentam assim os templos são também fazendeiros, mas para eles no íntimo, a fazenda pouco importa.
    São 300 milhões? Não, são 4,5 milhões, tá na declaração. Meus pastores ganham 3 a 40mil, e valem como um profissional bem sucedido.
    ETc…Isso me incomoda? Isso me aflige? Isso me deixa revoltado? Isso tem que ser explicado a quem dá? Não pode ficar assim, não pode.
    Oras, vemos as pessoas humildes ouvindo as Palavras e palavras e são elas que alimentam tudo isso. Espera aí, tudo isso? Mas que tudo isso?
    Ora, se “tudo isso=dinheiro, salário” logo para mim, que julgo assim, o dinheiro tem um peso que não deveria ter; pois para aquela multidão de fiéis o “tudo isso” nada é, pois são míseros 5, 10 a 100 R$ que nada significam pois para elas o conforto de estarem no culto ouvindo a “p-(pezinho)-palavra” é algo recompensador.
    Mas quem somos nós para dizer que a “palavra” (com pezinho)não carrega (e não pode carregar) a essência da Palavra de Cristo, e que milagres não possam ocorrer ali?
    Podem ocorrer, pois Deus faz distinção de lugares e “valores” e pecados do “pastor” para assim se revelar?
    Ora, se exigirmos 100% de não pecado a um pregador para se pregar a Palavra; a Palavra morre, e se julgamos 100% pecador aquele humano também cairemos no pecado. “Não olheis vossos pecados mas a fé que anima a Vossa “I–I-Igreja”
    O “nascer de novo” depende de cada um, e quem o/a modifica é somente Jesus na sua Palavra, e nela (Palavra) não é estalecido o prestígio de não haver nenhum pecador e nem um local totalmente santo para que assim ocorra o “nascer de novo”.
    Os fatores e julgamentos externos não devem afetar a Palavra e nem o Espírito que adentra a quem Ele possa entrar e aceitar.
    As ingenuidades do desconhecimento do capitalismo e de artifícios gananciosos/psicológicos (todas as palavras são artificiosas???) não podem obstruir o Espírito de adentrar nesses mesmos humaninhos ingênuos de coração puros – se não for assim, cairemos no “despoder” do Espírito, em que a Graça só poderá existir no ambiente em que não houver pecador, ou mesmo não houver um “líder” 100% puro.

  2. Adorei o comentário!
    Realmente as pessoas ingênuas são extorquidas no legado mais lindo da comunhão com Deus, que é a fé.
    A fé é dom de Deus, é de graça e é pela graça. Porém, colocaram preço na fé.
    Parabéns ao Manoel pelo inteligente comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s