Comercio de almas

Padrão

Confesso que a cada dia sinto mais dificuldades em assistir TV. Ainda existem alguns bons programas na TV a cabo, mas, na TV aberta, com raríssimas excessões, não dá.

Me impressiono como as pessoas ficam completamente hipnotizadas diante de um aparelho ligado.

Percebo com cada vez mais clareza que na relação mídia/espectadores/anunciantes, nós, o público, somos um produto fabricado, moldado e elaborado pela mídia que nos vende ao anunciante.

Funciona assim: Quando uma empresa investe dinheiro em uma mídia, está comprando um produto : as massas. Cabe ao produtor (as mídias) adequarem aquele produto, manipulando-o para se tornar massa adequada ao consumo, seja de produtos, comportamentos ou ideias.

Quanto maior a massa, mais volume (audiência), valorizando o preço, aumentando seu poder de negociação. Mas o produto só vira massa se for homogêneo. Quanto mais vidrados, imbecilizados, medianos e amedrontados estiverem, mais dependentes ficarão.

O medo não apenas vende, mas molda e cria dependência. Uns alegam “mas desgraças acontecem e precisamos estar informados”. Ora, mas só acontecem desgraças? Repare na próxima vez que assistir seu telejornal preferido e conte quantas noticias estão relacionadas ao medo. O medo se tornou o principal condutor de idéias.

Fixa-se padrões de comportamento, sempre na mesma direção, afunilando o rebanho, reprimindo os que contestam, manipulando as massas, criando “anticorpos” que inibem qualquer tentativa de seguir no anti fluxo.

O problema não é a TV, mas o que estão fazendo com ela.

Ontem eu estava em uma loja atrás de umas adolescentes que falavam sobre a Lady Gaga. Uma delas comentou  “A Lady Gaga é uma pessoa super original, é como se fosse uma professora de filosofia”.

Esse é nosso padrão. São nossos ícones e filósofos atuais que nos moldam, manipulam e preparam para a venda. Enquanto você senta confortavelmente no sofá com olhos vidrados, hipnotizado, acreditando em tudo o que vê em sua tevezona de plasma paga a prestação, tente lembrar que alí é a linha de produção. Tem gente negociando seu valor, manipulando sua mente, opiniões e percepção do mundo e de si mesmo. Exagero? Comece a olhar a sua volta e responda você mesmo.

Esse é o mundo da filosofia Lady Gaga onde, enquanto os lados, lugares e os valores são negociados a portas fechadas, bilhões ficam lá, entretidos, sentados, seduzidos, inertes, hipnotizados pela telinha luminosa, produtora e negociadora de almas.

Onde você está nesse processo?

Pense nisso.