Podemos vencer e venceremos.

Padrão

Dr Fernando Siqueira- 1940

Não sei o que houve naquele dezesseis de julho de 1940. Talvez algum contratempo entre os jovens que ainda faziam planos. Um problema de trabalho, de saúde ou somente uma mensagem encorajadora para os dias que viriam. Não sei a razão que motivou o futuro medico escrever atrás de uma pequena foto do seu rosto    “Podemos vencer e venceremos“.

Por razões que também desconheço a mensagem viajou no tempo e, além do casal, serviu de motivação para o primogênito deles, meu pai, que agora em uma mesa de restaurante, emocionado, me oferecia o presente.

Era um bilhetinho escrito a mão, atrás de uma foto amarelada, uma frase simples, nenhuma grande construção, mas com enorme significado.

Ao invés de aceitá-la, propus que ele ficasse com a foto mas me permitisse scanea-la. É estranho o poder que ela tem de nos lembrar que a possibilidade da “vitória” é sempre uma realidade. Nós ganhamos ou perdemos quando projetamos na vida o estado de espírito que vive dentro de nós.  Começa em nossa disposição em dar significado ao que fazemos, entendendo que a grande vitória não tem a ver com o que posso comprar, mas com aquilo que sou.

Mas não quero ir além da mensagem da foto. Ela é simples e verdadeira.

Naquele Julho de 1940 meu avô não cogitava que estava falando com mais gente além de sua Débora. Ele não sabia que, mesmo amarelado e envelhecido, aquele papel viajaria no tempo e, mais de setenta anos depois, estaria aqui para dizer para mim e você que, independente de qualquer coisa, Podemos vencer e venceremos.

Simples assim.