Fórmula Secreta da Coca Cola

Padrão

Bolsa familia vicia o cidadão.

Padrão

Saiu hoje no Jornal de Brasília, na coluna do Cláudio Humberto:

“Após relutar muito, o governo federal decidiu oferecer aos beneficiados do Bolsa Família a “porta de saída” do programa: cursos de qualificação que os prepare para o mercado e lhes assegure empregos e vida digna.

Mas a iniciaiva é um fracasso: das 400 mil cartas de convite enviadas até agora, apensas 6 mi “bolseiros” aceitaram a oferta.

Os demais preferem o desemprego ou o subemprego, mas com “bolsa-esmola”. “

Você nunca ouviu nada igual.

Padrão

capa_livro_em_jpeg

Se o rádio é um veiculo tão fascinante e de grande importância, carece de boas publicações.

Infelizmente, o que temos de referência no mercado são livros absolutamente desfasados que, no fim das contas, acabam servindo de base para o aprendizado de futuros profissionais.

Por isso fiquei feliz quando soube que um radialista chamado Watson Zucco Weber, lançou o livro chamado “Você nunca ouviu nada igual”.

Nele, o radialista – que também é jornalista e publicitário – destaca a importância do rádio como terapia e estímulo a imaginação, dando dicas de como organizar uma emissora.

“O rádio mudou minha vida quando eu comecei a vê-lo como instrumento de comunicação de massa, não mais como uma caixa de música. Percebi que no ar, somos, acima de tudo formadores de opinião. Podemos dar conselhos que realmente mudam o dia-a-dia das pessoas”, destaca o autor em entrevista a jornalista Fernanda Lima no site Tudo Radio.

Como diria Silvio Santos, ainda não li o livro, mas me disseram que é muito bom.

Pela iniciativa, meus parabéns ao Watson.

Para quem é radialista ou simplesmente quer conhecer mais esse fascinante veiculo, fica aqui minha recomendação.

O blog com informações do livro :

http://vocenuncaouviunadaigual.blogspot.com/

O som que sai da gente.

Padrão

2351855633_b19144d19c1

Texto publicado em minha coluna mais rescente no site Tudo Radio.

Nosso coração está cheio de som.

As batidas que saem dele, se confundem com os graves e agudos da melodia que criamos interiormente.

 A música preferida, é só uma chave para percebermos em que ritmo estamos naquele momento.

Vivemos de ritmos e produzimos sons o tempo inteiro.

Quando você está na rádio – ou em qualquer outro trabalho – em casa, na rua, em todos os lugares, em cada coisa que toca, deixa ali um pouquinho da sua melodia.

Não sei o que toca na sua rádio, mas, me diga, o que tem te tocado ultimamente ?

Que tipo de som tem coincidido com o que sai de você, a ponto de criar identificação ?

Você é a música.

Nesse novo ano, acerte o compasso.

Regule os graves, médios e agudos e afine o que está desafinado. Como todo compositor, talvez você precise de inspiração.

Preencha os olhos, ouça o que é bom, alimente seu coração, acerte o compasso e, naturalmente, componha boa música nos seus caminhos.

Se o ano só está começando, acredite na possibilidade de que, com ele, chegue um novo ritmo.

Ás vezes é necessário mudar a frequência.

Mexa em sua programação, acerte-se consigo mesmo e produza novos sons.

Talvez seja isso que esteja faltando para colher frutos melhores e se acertar consigo mesmo.

 Você é o compositor.

Boa sorte!