Nossa melhor versão

Padrão

Cada sentimento, seja ele bom ou não, só pode ser medido a partir do momento em que você necessita se relacionar com a vida, e , suas reações lhe darão a medida de como as coisas estão aí dentro.

Das pequenas coisas do dia a dia, as grandes tragédias que nos abatem, extraimos de pessoas diferentes reações completamente díspares.

Você pode ver, por exemplo em uma queda de avião, como parentes de vítimas do mesmo vôo, que compartilham a mesma dor da perda, agem em polos opostos.

Tem os que saírão em busca de culpados, procurando advogados e tentando apurar responsabilidades.

Outros perdem a motivação para tudo e preferem se recolher ao tempo de sua dor.

Sei de histórias de gente que extrai da tragédia lições pessoais e, a partir delas, procuram melhorar, revendo suas prioridades até como forma de dar sentido aquela perda tão inesperada.

Assim como os que choram muito no tempo da dor, mas , com o tempo, preferem tocar a vida sem pensar muito no que aconteceu, de modo que, para ele, o acidente foi uma fatalidade que não deve repercutir em aspetco algum.

Qual deles tem razão ?

Cada um agiu conforme sua maturidade e coerentemente com aquilo que é.

Por isso, diante das coisas que nos acontecem todos os dias, não importa o significado do evento, temos a chance de mostrar ao mundo nossa melhor versão de nós mesmos.