Contraditórios.

Padrão

Lembro de um dos dias mais importantes na minha vida com sentimentos contraditórios.

Isso porque, no dia do nascimento do meu filho, um jovem casal chorava a perda do filho de três anos.

Enquanto eu comemorava a chegada do Flavinho, via os avós, parentes e amigos dos  dois chegando desnorteados ao saberem da notícia da súbita morte daquele menininho que horas antes eu vira chegar.

Nos aniversários do meu, lembro também da morte do deles.

Isso porque a vida é cheia de contradições.

Em nossa existência experimentaos um pouco de cada polo, de modo que ninguém está livre do dia mau.

O que nos difere, é como lidamos com ele.

Tenho aprendido que o bem e o mal, vivem em nossos corações e não em evento nenhum que, na essência, é desprovido de ética ou moral.

Somos nós quem damos significado as coisas, a partir daquilo que somos.

Ainda que a morte, doença ou miséria sejam dificeis de lidar, não podemos desconsiderar que são acontecimentos natuais da vida.

Da minha e da sua.

Convivemos com o contraditório porque somos assim, convivendo entre o bem e o mal em um corpo só.

Na próxima vez que tiver que enfrentar o dia mau, lembre-se que, antes de ser dia , o mau estava em você.

Assim, ao invés de projetar no acontecimento qualquer condição moral, aprenderemos a rever nosso coração, sabendo que é dele que sai, tanto a dor, quanto a cura.

Pense nisso.